Pular para o conteúdo principal

Postagens

DEUS: Refúgio, Fortaleza e Socorro.

"DEUS é o nosso refúgio e fortaleza; socorro bem presente nas angústias" (Salmos 46.1)


1) Um REFÚGIO nos garante abrigo adequado durante uma tempestade, ou de um sol escaldante num deserto, ou de baixas temperaturas numa noite fria.
A Palavra de Deus promete que "...criará o SENHOR, sobre toda a habitação do monte de Sião e sobre as suas congregações, uma nuvem de dia, e uma fumaça e um resplendor de fogo chamejante de noite; porque sobre toda a glória haverá proteção. E haverá um tabernáculo para sombra contra o calor do dia, e para refúgio e esconderijo contra a chuva." (Is 4:5,6).

2) Uma FORTALEZA nos proporciona proteção e segurança, tanto defensiva contra as investidas de um inimigo, quanto ofensiva em nos fortalecer nas batalhas contra o mal.

No aspecto Defensivo, a Palavra de Deus nos diz:  "Torre forte é o nome do SENHOR; para ela correrá o justo e estará em alto retiro." (Pv 18.10)

Mas, também, fortaleza nos fala da força e coragem que Deus nós d…
Postagens recentes

Seguirei ao meu bom Mestre

Buscamos Jesus Cristo com qual interesse? Qual é o nosso compromisso com os ensinamentos do Mestre? Queremos simplesmente bênçãos, prosperidade financeira, sucesso sentimental, curas físicas ou realmente obedecemos a Cristo? Jesus não pediu para fazermos monumentos em homenagem a Ele; Não pediu para elogiá-lo com cânticos românticos e declarações apaixonadas; Não pediu presentes. Ele quer que O sigamos. Que obedeçamos aos seus ensinos.
Em tempos em que, os interesseiros pecadores, buscam Jesus apenas para serem prósperos financeiramente (mas, não buscam os tesouros do céu), curados de suas enfermidades físicas (mas, não querem ser curados de seus pecados), abençoados (mas, não querem compromisso com o Reino de Deus) e protegidos do mal (mas, não querem comunhão com a Luz), Cristo continua proclamando às multidões: “Se alguém deseja seguir-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz dia após dia, e caminhe após mim." (Lucas, 9.23)
Segue uma canção que expressa este convite do Mestr…

O verdadeiro culto à Deus

A paz do Senhor Jesus Cristo.

"Põe a trombeta à tua boca. Ele vem como águia contra a casa do Senhor; porque eles transgrediram o meu pacto, e se rebelaram contra a minha lei. E a mim clamam: Deus meu, nós, Israel, te conhecemos." (Oséias 8.1,2)

Israel conhecia ao SENHOR "somente de ouvir falar" (Jó 42). Seus olhos até estavam em direção ao SENHOR, mas haviam virado as costas para o seu Deus, como denunciou o profeta Isaías.

a) Eles cantavam, mas não O adoravam em espírito e em verdade (Jo 4);
b) Diziam "Senhor, Senhor", porém, que não faziam a vontade do Pai (MT 7);
c) Oravam, entretanto, não vigiavam (MT 6; 26.26);
d) Jejuavam, todavia, não praticavam a Justiça (Is 58);
e) Conheciam a Lei de Moisés, no entanto, não obedeciam a Palavra de Deus (Rm 2);
f) Festejavam, mas não honravam ao SENHOR (Is 1; Ex 32).
e) Cultuavam, porém, não apresentavam seus corpos como "sacrifício, santo, vivo e agradável a Deus" (Rm 12.1,2).

Que Deus tenha misericórdia…

A "infalibilidade" da ciência moderna.

Em seu livro “Ciência e Bioética – um olhar teológico”, o professor Euler R. Westphal desmistifica o endeusamento da ciência como uma espécie de religião. Pois, em sua prepotência, a ciência roga para si prerrogativas divinas, prometendo muito mais do que é capaz fazer, a exemplo da imortalidade do ser humano. Além disto, têm-se esquecido de seu principal propósito que é ser um instrumento em favor da vida e da dignidade humana. A partir de um prisma teológico, o autor leva-nos a refletir sobre a necessidade de desconstruir os conceitos mecanicista (que trata o ser humano simplesmente como uma máquina) e utilitarista (que mede a dignidade do indivíduo a partir de sua utilidade social) da ciência moderna que, cada vez mais, promove a separação entre Deus, o homem e o mundo.  Ao invés de dignificar a vida, muitas vezes a ciência moderna acaba sendo utilizada para o mal. O autor denuncia seus mitos e suas controvérsias éticas nas práticas da manipulação de embriões, da Eugênia, das pesqui…

A Piedade Cristã

"O exercício físico é de pouco proveito; a piedade, porém,  para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida presente e da futura" (1 TM 4.8)Interessante nesta palavra do apóstolo Paulo ao seu discípulo Timóteo, é que este, sendo jovem cooperador do Evangelho na cidade de Éfeso, é desafiado a expressar seu verdadeiro caráter religioso e devoção sincera a Deus, não meramente no aspecto externo (muito comum na religião através de suas indumentárias e rituais), porém, numa vida íntegra diante de Deus e dos homens.Não apenas demonstrar ser "bonzinho" (o que nenhum ser humano o é) perante aos descrentes:
"Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza." (1Tm 4:12).Não é apenas aparentar religiosidade diante dos homens:
"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." (2 Tm 2:15)Não é apenas fugir…

Todos os dias te darei graças.

"Todos os dias te darei graças e sempre te louvarei." (Sl 145.2)

A Igreja de Cristo deve guardar a algum dia semanal de descanso religioso? Caso positivo, deve ser o sábado ou o domingo?
Não tenho nenhuma pretensão de que este breve artigo posso esgotar esta questão teológica, mas, vejamos os pontos a seguir:

1) Certa vez, estudando a lição da escola bíblica dominical (Lição nº 11 do 4º Trimestre de 2011, ponto 3 do tópico III - CPAD)*, com o título “O dia de adoração e serviço a Deus”, fui surpreendido com colocação do comentarista: “Então, porque guardamos o domingo?”. Fiquei admirado, pois, eu mesmo nem sabia que “guardava o domingo” (sendo assembleiano desde minha conversão, 1993, nunca recebi tal ensino)! E mais surpreso ainda, pelo comentário de nº 3, da nota de rodapé da minha Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD), página 1410, referente a passagem de Mateus 12.1, dizendo: “…o dia de adoração (o domingo) é um sinal de que este [o povo de Deus] pertence a Cristo.” Ou sej…

Cristianismo x morte

Uma sucinta reflexão sobre a visão cristã diante da realidade da morte conforme a Palavra de Deus: I Ts 4.13-18; Lucas 16.23-31; Hb 9.27; Jo 11.25,26; Rm 6.23.




"Não desejamos, no entanto, irmãos, que sejais ignorantes em relação aos que já dormem no Senhor, para que não vos entristeçais como os outros que não possuem a esperança. Porquanto, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, da mesma maneira devemos crer que Deus, por intermédio de Jesus, trará juntamente com Ele os que nele faleceram" (1 Tessalonicenses 4.13,14).